Qua, 22 de Novembro de 2017

Digressões de um ímpio - Quem foi Charles Darwin? - 09/11/2017 | 08:25

Charles Darwin,  Shrewsbury, 12 de fevereiro de 1809 — Downe, Kent, 19 de abril de 1882, foi um proeminente naturalista que vislumbrou a tão fantástica e essencial para a biologia, bem como para outras áreas do conhecimento, Teoria da Evolução das Espécies por meio da seleção natural e sexual. O que lhe custou cinco anos em uma viagem de navio ao redor do globo, perigosíssima para a época, a bordo do HMS Beagle. Darwin por meio de observações criteriosas e rigorosas reflexões, sobre lugares e seres vivos por ele nunca antes visto, em especial nas ilhas Galápagos, para chegar a tais conclusões, no livro “Darwin. A vida de um evolucionista atormentado.” 1991, Adrian Desmond e James Moore, numa monumental obra biográfica, descrevem de forma vigorosa e com entusiasmo todos os passos da vida desse tão estimado homem.

“É como confessar um crime”. Estas foram as palavras com as quais Charles Darwin se expressou quando revelou ao mundo o que sabia ser um fato: que nós, os humanos, descendemos de moluscos hermafroditas acéfalos. Como pôde um abastado cavalheiro, um obstinado em busca de reconhecimento, demolir os fundamentos de sua religião e da sociedade anglicana? Os autores Desmond e Moore, nesta que foi aclamada como a biografia definitiva de Darwin, não apenas explicam o paradoxo do homem, mas nos colocam diante do mais vasto cenário da ciência, da teologia e dos valores da era vitoriana.

Os autores desvendam desde a batalha que se travava na mente e na alma do Darwin estudante até suas glamorosas incursões etílicas na rua das prostitutas em Cambriged. Com vivacidade, eles recriam a viagem de cinco anos de Darwin a bordo do Beagle e reconstituem seus esforços para desenvolver a teoria da evolução. Então, acompanham Darwin em suas décadas de tormento.

Plenamente cônscio de que suas ideais poderiam trazer a ruína e o ostracismo social à sua adorada família, Darwin manteve suas ideias em segredo por 20 anos. Aparentemente levando uma vida provinciana na bucólica região de Kent, na verdade era um homem “vivendo no inferno”, açoitado por tremores, vômitos e ataques violentos e confrontado ainda por tragédias pessoais que o tornaram melancólico até o fim de seus dias.

Muito mais que Marx e Freud, este homem angustiado estava a um passo de mudar completamente a maneira pela qual vemos a nós mesmos neste planeta.

Assim, da guerra da natureza, da fome e da morte surge diretamente o mais excelso objeto que somos capazes de conceber, a produção dos animais superiores. Há grandeza nessa visão da vida, com seus vários poderes, insuflada que foi originalmente em algumas formas ou em uma, e no fato de que, enquanto este planeta em seu giro de conformidade com a imutável lei da gravidade, de um começo tão simples evoluíram e continuam a evoluir infindáveis formas belíssimas e fascinantes.

DARWIN, Charles. A origem das espécies. 1859. p. 490

In:

DAWKINS, Richard. Há grandeza nessa visão da vida. In: ______ O maior espetáculo da terra: As evidências da evolução. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. p. 371


VOLTAR